Aulas até

CURSO DE ACESSIBILIDADE AUDIOVISUAL

Aumente o público dos seus produtos e ingresse em um novo mercado profissional

O curso é para pessoas e empresas, e tem como objetivo principal a compreensão dos fundamentos teóricos e práticos da acessibilidade audiovisual, o que vai permitir a contratação de novos profissionais, gerar economia e aumento da receita de filmes, videoaulas, séries, propagandas e qualquer produto audiovisual exibido em qualquer tela.

Videochamada do Curso de Acessibilidade Audiovisual com a técnica de animação gráfica com ícones em 2D e uma tradutora de Libras humana à direita de camiseta preta. Na tela
azul, uma robô cinza, com a cabeça redonda maior que o corpo com círculos azul, preto e branco no lugar do rosto. Como mãos, tem garras mecânicas e flutua na tela entre ícones desenhados que se associam ao texto narrado; são conectados em círculos por pontos, movimentam-se. Representam bússola, controle remoto, circuitos elétricos, lâmpada,
pessoas, máquina de escrever, claquete, câmera de cinema, aparelho de TV, joystick, tablet, celular, monitor de computador, teclado, relógio, símbolos da audiodescrição e Libras, estúdio com fundo verde iluminado do alto, pessoa falando num púlpito, apostilas em .pdf, flecha cravada no alvo, megafone, cifrão, engrenagens, pessoas formam uma lâmpada, pessoas formam um mapa, pessoas formam um ponto de interrogação, três moedas douradas caem em um porquinho cor de rosa, sinal de positivo, chapéu de formatura, símbolo da acessibilidade. Outro robô com corpo quadrado e cabeça retangular está sobre uma esteira. O site da filmes que voam em letras brancas. Fundo cinza, logotipos do FSA, da Ancine, bandeira do Brasil e logotipo do BRDE.

+ de 100
horas-aula

módulos
ao vivo

atividades
práticas

certificação

CURSO ACESSIBILIDADE AUDIOVISUAL

Logotipo da Filmes Que Voam. Em branco, sobre fundo preto, todos os produtos audiovisuais em todas as telas já podem ser acessiveis para pessoas com deficiênciais visuais e auditivas. Use a tecnologia e dialogue com cerca de 20 milhões de novos consumidores de filmes e vídeos. No cinema, na Tv e na Internet. Os depimentos são de Nicoly, que sinaliza em Libras, tem cerca de 30 anos, é loira, de cabelos longos e olhos verdes, e está sentada em uma cadeira preta com encosto alto em seu quarto, com uma televisão desligada na parede e, na mesa, um notebook que tem ao lado lápis e um estojo coloridos. Micheli tem cerca de 30 anos cabelos pretos até os ombros, usa óculos, veste uma camisa jeans de mangas curtas, e está sentada à frente de um mosaico fora de foco. Darley tem entre 25 e 30 anos, barba preta e cabelos castanhos escuros. Está na sala do apartamento, veste camiseta cinza e está sentado à frente de um vaso com uma planta verde que fica ao lado da TV. Luan Vinícius tem entre 20 e 30 anos, usa boné preto e tem cabelo e barbas pretos e também usa camiseta regata preta. Está ao lado de uma TV pendurada na parede, acima de um teclado.

O curso “Produção e distribuição de conteúdos com acessibilidade na cadeia produtiva do audiovisual brasileiro: da criação ao consumo” contempla 132 horas-aula, distribuídas em 4 módulos e objetiva a formação e capacitação da indústria audiovisual para inserção de acessibilidade em todos os seus produtos em todas as mídias e ambientes de conteúdo audiovisual, em qualquer janela – das salas de cinema à web. Com simples log in e senha, os estudantes poderão acessar os conteúdos em qualquer lugar e a qualquer hora, inclusive do celular, assistir as aulas gravadas, fazer exercícios e participar de aulas ao vivo com professores.

 

O curso tem dois objetivos principais: reposicionar a acessibilidade na indústria audiovisual, trazendo-a para um lugar de destaque, desde o início das produções, para que as produtoras economizem e trabalhem com mais facilidade e qualidade, e também aumentar o mercado – seja dos produtos audiovisuais ou das propagandas e de vídeos institucionais.

 

Com aulas gravadas e ao vivo, o curso trata de libras – língua brasileira de sinais – , audiodescrição e legendas para surdos e ensurdecidos em todas as suas etapas na cadeia produtiva do audiovisual, e também tem aulas com outros temas que estimulam a reflexão e a prática sobre distribuição.  Já não existem limitações técnicas para que filmes, séries e propagandas – todo e qualquer produto, seja numa sala de cinema ou num telefone celular – não seja acessível e atinja cerca de 16 milhões de novos consumidores que, no Brasil, estão praticamente banidos da indústria do entretenimento.

Os pré-requisitos para os participantes são a formação superior completa ou em andamento e disponibilidade para pesquisa. A partir do final de outubro, e até 2021, serão novos conteúdos mensais.

Conheça mais sobre o curso

Imagem Filmes Que voam (panfleto + celular)

Produza filmes, vídeos e jogos com acessibilidade e distribua em todas as plataformas

Um mercado em expansão com mais de 16 milhões de consumidores sem produtos acessíveis

 

Com o avanço da tecnologia, a acessibilidade já uma realidade em muitos países. No Brasil temos um mercado em expansão com cerca de mais de 16 milhões de consumidores com alguma deficiência. Através da tecnologia assistiva nas salas de cinema em todo o Brasil, surge um novo mundo de propagação da informação e produção de conteúdo. Não existem mais limitações técnicas para que produção de filmes, séries, novelas, comerciais institucionais, canais de youtube e qualquer produto audiovisual não seja acessível. Essa transformação vai movimentar toda a indústria do entretenimento, aumentando quantidade de obras acessíveis e gerando novos empregos através da atualização tecnológica no setor criativo do cinema, TV e internet. O resultado será o aumento da audiência de filmes, séries, comerciais, games e qualquer produto audiovisual em qualquer tela.

Objetivos do curso

Um mercado em expansão com mais de 16 milhões de consumidores sem produtos acessíveis

 

O objetivo principal do curso é a compreensão dos fundamentos e a prática da acessibilidade audiovisual por pessoas e empresas, o que vai permitir a contratação de novos profissionais, gerar economia e aumento da receita de filmes, vídeos, séries, propagandas e qualquer produto audiovisual.

Imagem de Computador com PRINT do curso
Imagem de Celular com print da Plataforma Do curso - Seção o que você vai aprender

O que você vai aprender

Teoria, prática e distribuição

  • Acessibilidade no audiovisual em todas as janelas e produtos
  • Etapas de produção de conteúdos acessíveis na indústria audiovisual
  • TAV – Tradução Audiovisual
  • Legendas e LSE – Legendas para Surdos e Ensurdecidos ou Legendas Descritivas
  • Libras
  • Audiodescrição
  • Acessibilidade para salas de cinema e cineclubes
  • Acessibilidade para equipes de espaços culturais
  • Comunicação institucional acessível
  • Acessibilidade para TV aberta, TV fechada, Video on demand (VOD, Internet e celulares)
  • Acessibilidade para games – realidade virtual e realidade aumentada
  • Conteúdo audiovisual infantil acessível
  • Implementação de acessibilidade em empresas que geram conteúdo audiovisual
  • Estratégias de venda e divulgação de produtos audiovisuais acessíveis
  • O conceito de acessibilidade: histórico, desenvolvimento e presença no mundo contemporâneo.
logotipo ancine

Curso aprovado pela Ancine

Professores

Professores especialistas

Inovação e conteúdo profissional

O curso é destinado a profissionais e estudantes dos setores de entretenimento e educação como:

EXPLORE UM MERCADO EM PLENA EXPANSÃO

LIBRAS

Entenda como funciona e aprenda a produzir filmes e vídeos na Língua Brasileira de Sinais

LEGENDAS PARA SURDOS E ENSURDECIDOS

Descubra como é simples e barato aumentar a audiência dos seus produtos

Recursos do Curso

AUDIODESCRIÇÃO

Pessoas cegas ou com baixa visão cada vez mais consomem filmes, séries e qualquer produto audiovisual - dialogue com este público

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

Já não existe limitações tecnológicas para a produção e distribuição de conteúdos audiovisuais acessíveis

Conteúdos do curso

Imagem do Curriculum do curso

imperdível!

Módulos Ao Vivo

Em letras brancas sobre fundo preto, aprenda como as pessoas cegas ou surdas podem curtir grandes filmes como Macunaíma.

Trailer colorido do filme Macunaíma (1969) de Joaquim Pedro de Andrade. As versões com audiodescrição, libras e legendas deste trailer e do filme com Grande Othelo, Dina Sfat, Paulo José, Milton Gonçalves e grande elenco, adaptada do livro de Mário de Andrade, serão feitas durante o curso de acessibilidade audiovisual. Macunaíma é um herói preguiçoso, safado e sem nenhum caráter. Ele nasceu na selva e de preto, virou branco. Depois de adulto, deixa o sertão em companhia dos irmãos. Macunaíma vive várias aventuras na cidade, conhecendo e amando guerrilheiras e prostitutas, enfrentando vilões milionários, policiais, personagens de todos os tipos.

Muitos grandes filmes, novelas, séries e outros produtos audiovisuais do passado, ainda não tem acessibilidade. Por isso nas aulas ao vivo vamos trabalhar com os clássicos Macunaíma, de Joaquim Pedro de Andrade, e O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla. Professores especialistas em acessibilidade audiovisual vão trabalhar e orientar os alunos em exercícios práticos, para que finalmente estes estes dois grandes filmes brasileiros se tornem acessíveis, e para que os alunos e toda a indústria saiba como realizar acessibilidade de produtos audiovisuais.

Em letras brancas sobre fundo preto, aprenda como as pessoas cegas ou surdas podem curtir grandes filmes como Macunaíma.

Trailer colorido do filme Macunaíma (1969) de Joaquim Pedro de Andrade. As versões com audiodescrição, libras e legendas deste trailer e do filme com Grande Othelo, Dina Sfat, Paulo José, Milton Gonçalves e grande elenco, adaptada do livro de Mário de Andrade, serão feitas durante o curso de acessibilidade audiovisual. Macunaíma é um herói preguiçoso, safado e sem nenhum caráter. Ele nasceu na selva e de preto, virou branco. Depois de adulto, deixa o sertão em companhia dos irmãos. Macunaíma vive várias aventuras na cidade, conhecendo e amando guerrilheiras e prostitutas, enfrentando vilões milionários, policiais,

personagens de todos os tipos.

As aulas serão marcadas a partir de novembro de 2020. Antes de participar os alunos deverão assistir aos filmes num link exclusivo. Depois, com a orientação dos professores, vão discutir e trabalhar o filme para a audiodescrição, as legendas para surdos e ensurdecidos, e também outros temas relacionados ao contexto de cada obra e o seu público nos dias de hoje.

Professores que já estão trabalhando no curso

em breve novos confirmados!

Foto da Bell Machado

Bell Machado

Área: Audiodescrição

Bio: Isabel Pitta Ribeiro Machado é audiodescritora e diretora de acessibilidade, cultura e inclusão na Quest Consultoria. Mestra pela UNICAMP, já atuou como docente de história do cinema no Museu da Imagem e Som (MIS), de Campinas – SP, assessora da Secretaria de Direitos da pessoa com deficiência e em diversos projetos de inclusão cultural. Já realizou a AD de mais de 300 filmes e ministrou diversos cursos de Introdução à audiodescrição e o curso de especialização em audiodescrição na UFJF.

foto de Eliana Franco

Eliana Franco

Área: Audiodescrição.

Bio: ELIANA FRANCO é doutorada em Letras pela KULeuven (Bélgica, 2000) e especialista em Tradução Audiovisual e Acessibilidade. Atua como legendadora e audiodescritora há mais de 15 anos, além de coordenar projetos de acessibilidade para as artes visuais e audiovisuais. Iniciou seu trabalho na área da acessibilidade audiovisual em 2000, através da pesquisa sobre a legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE) na televisão brasileira. Em 2004, ingressou na formação em audiodescrição com Bernd Benecke (Bayerische Rundfunk). Fundou e coordenou por dez anos (2004-2014) o grupo TRAMAD – Tradução, Mídia e Audiodescrição (Universidade Federal da Bahia), pioneiro na pesquisa sobre a AD para o cinema e a dança no Brasil, e sobre a AD para o público com deficiência intelectual, também na Europa. Publicou sobre tradução audiovisual no país e no exterior e ministrou cursos de formação em audiodescrição em grandes universidades brasileiras (USP, UFBA, UFMA e UFRJ), associações e produtoras. Também participou como membro do júri das duas últimas edições do Festival de Filmes com Acessibilidade Comunicacional do Recife, VerOuvindo (2017 e 2019). Vive em Portugal, onde atua como coordenadora de acessibilidade na Sintagma Lda.

foto de Felipe Mianes

Felipe Mianes

Área: Audiodescrição

Bio: Felipe Leão Mianes atua desde 2011 como consultor e palestrante em acessibilidade, processos de inclusão das pessoas com deficiência e consultoria em Audiodescrição. Mestre e Doutor em Educação, tem vasta experiência como docente com ênfase nos campos de Estudos Culturais, Didática, Acessibilidade , narrativas de pessoas cegas ou com baixa visão, Audiodescrição e Estudos sobre Deficiência. Realizou a consultoria de AD de diversos filmes, séries e comerciais televisivos.

foto de Márcia Caspary

Márcia Caspary

Área: Audiodescrição

Bio: Audiodescritora, dubladora, profissional da voz. Diretora na Tagarelas Produções, atua como roteirista e narradora de audiodescrição de documentários, longa-metragens, curtas de ficção e animação, comerciais de TV e séries, desde 2008. Também tem no currículo a realização da AD ao vivo em inúmeros festivais de cinema, espetáculos de dança, teatro, shows musicais, eventos e congressos.

foto de Tiago Coimbra Nogueira

Tiago Coimbra Nogueira

Área: Libras

Bio: Tradutor e Intérprete de Língua Brasileira de Sinais/Português, realizou projetos como coordenador de equipe e Intérprete nas produtos audiovisuais. Mestre em Estudos da Tradução, atua também como professor do Departamento de Línguas Modernas da UFRGS. Foi diretor de Articulação Política da Federação Brasileira das Associações dos Profissionais Tradutores e Intérpretes e Guia-intérpretes de Língua de Sinais (2015-2019).

foto de Vinícius Batista Nascimento

Vinícius Batista Nascimento

Área: Libras

Bio: Tradutor e Intérprete da Língua de Sinais Brasileira (Libras)/Língua Portuguesa com experiência na tradução de textos didáticos, literários e audiovisuais e na interpretação comunitária, educacional, de conferências e midiática. Doutor e Mestre em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP, atua na formação de tradutores e de intérpretes de língua de sinais em nível de graduação, pós-graduação lato sensu e extensão. Foi Diretor Regional Sudeste da Federação Brasileira das Associações de Tradutores, Intérpretes e Guias-Intérpretes da Língua de Sinais – FEBRAPILS (2015-2019).

foto de Nathália De Moura D’ajello

Nathália De Moura D’ajello

Área: Legendas, Closed Caption e LSE

Bio: Diretora Executiva e Gerente de Projetos em Legendagem e Tradução, com foco em acessibilidade. Tradutora, legendista, especialista em recursos acessíveis como Closed Caption e Legendas para Surdos e Ensurdecidos (LSE), atua em produções de empresas como Netflix, e TV, para os canais os OFF, Canal Curta, Canal Brasil e Globosat. É também responsável pelo treinamento dos tradutores e legendistas e pelas revisões e Controle de Qualidade das legendas da Netflix, Disney, BBC, Amazon Prime e outras grandes empresas através da agência ZOO Digital (Netflix Vendor).

foto de Patrícia Araújo Vieira

Patrícia Araújo Vieira

Área: Legendas, Closed Caption e LSE

Bio: Professora do curso Letras-Libras da Universidade Federal do Ceará (UFC). É mestre e doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Ceará. Desenvolve pesquisas na área de Linguística, com ênfase em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), leitura e escrita em português como segunda língua para os surdos, Tradução Audiovisual Acessível a surdos pela legendagem e movimentação ocular.

Bio UFChttps://ppgpoet.ufc.br/pt/docentes/patricia-araujo-vieira/

foto de Chico Faganello

Chico Faganello

Área: Produção e comunicação acessível

Bio: Sócio diretor da Filmes Que Voam, empresa pioneira no Brasil na prestação de serviços de acessibilidade para a indústria audiovisual e no ensino de acessibilidade. Doutor em Literatura pela UFSC, especialização em História do Cinema pela Universitá degli Studi di Siena, na Itália, e em direção de filmes na New York Film Academy. Cordenoou projetos de acessibilidade audiovisual para Unesco, Fundação Boticário, Ministério Público de SC, Senai BR, dentre outros.

foto de Jose Augusto De Blasiis

Jose Augusto De Blasiis

Área: Tecnologias e Infra-estrutura

Bio: Profissional da área de projetos com mais de trinta anos no mercado audiovisual com domínio das tecnologias para a difusão e distribuição na cadeia audiovisual e implantação de infra-estrutura para acessibilidade. Mestre em comunicação social e ministrou aulas na Universidade Metodista e na Faculdade Cásper Líbero. Foi coordenador de projetos de longa metragem do país, filmes como Cidade de Deus; Carandiru; Ônibus 174; O Maior Amor do Mundo; O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias; O Cheiro do Ralo; Noel Rosa; Chega de Saudade; Durval Discos; Se Eu Fosse Você 1 e 2, dentre outros.

foto de Eliandro Saly

Eliandro Saly

Bio: Eliandro dos Santos Fontes Júnior é Game Designer em projetos na área de Game Jams, Boardgames e Indie Games. Estuda os recursos de jogos acessíveis para pessoa com deficiência, apresentando sua importância no cenário atual e o impacto causado no mercado. Especialista em Game Design, Ludopedagogia e tem mais de 10 jogos comerciais desenvolvidos. Mestrando em Design, acompanha a evolução da indústria de perto, buscando alternativas para tornar os jogos acessíveis.

foto da Ângela Russo

Ângela Russo

Bio: Intérprete de Libras – Português e tradutora com atuação no âmbito educacional, artístico, midiático, político, e acessibilidade. Pedagoga e Mestre em Educação UFRS. Tem experiência na área de Tradução e Interpretação em LIBRAS em diversos eventos Internacionais como Fórum Social Mundial e TISLR9. Além disso, atua também como formadora de intérprete de Libras desde 2002, tendo experiência em diversos estados do Brasil.

Foto de Lucas Heitor

Lucas Heitor

Bio: Lucas Heitor Beal Sant’Anna é formado em produção audiovisual e cinema pela PUCRS. Trabalha como assistente de câmera para cinema e publicidade desde 2018. Participa do projeto social Câmera Causa, que tem como objetivo o ensino e prática da realização audiovisual a partir de dispositivos moveis. O projeto é voltado para grupos em vulnerabilidade social, escolas públicas, coletivos e demais projetos sociais que queiram dar mais visibilidade às suas causas e se expressarem através de conteúdo audiovisual.

Foto de Jonatas Medeiros

Jonatas Medeiros

Bio: Tradutor Intérprete de Libras certificado desde 2010, é um dos fundadores da Fluindo Libras. Graduado em Letras/Libras e pós-graduando em Produção Cinematográfica e Estudos de Tradução. Atua e estuda a tradução intermodal/intersemiótica de textos artísticos e literários com interlocução em peças teatrais e a produção bilíngue/bicultural, além de experiência com a TAV – Tradução Audiovisual, como aulas em EaD, sites, vídeos institucionais, filmes, clips e séries.

Rachel Colacique

Bio: Rachel Colacique, professora de LIBRAS do Departamento de Didática – DID / UNIRIO e professora no Instituto Nacional de Educação de Surdos INES.
Vice coordenadora do curso de Graduação em Pedagogia a distância Lipead/Cederj/Unirio.
Graduada em Pedagogia pela UERJ, especialista em Educação Especial pela UNIRIO, Mestre e Doutora em Educação pela UERJ.
Atuante e pesquisadora na área de educação online e cybercultura, com ênfase nas questões de acessibilidade e produções surdas na internet, além da formação de professores. Membro do Grupo de Pesquisa Docência e Cibercultura – GPDOC.

Foto de José Ednilson Gomes de Souza - Júnior

José Ednilson Gomes de Souza - Júnior

Bio: Professor do Departamento de Libras (DLSB) do Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tradutor e Intérprete desde 1997 nos âmbitos comunitário, conferência e TV. É Mestre em Linguística pela Universidade de Brasília/UnB e foi vice-presidente da World Association of Sign Language Interpreters (WASLI). Tem experiência na área de educação, Linguística, Comunicação e Tradução.

Rodrigo Custódio

Bio: Doutor (2019) e mestre (2013) em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina  (UFSC), possui especialização (2010) em Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS pelo Instituto  Brasileiro de Pós-Graduação e Extensão (IBPEX) e graduação (2008) em Educação Física – licenciatura plena pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Possui experiências com  tradução de português para Libras. Atualmente, é professor adjunto da Universidade Federal  de Santa Catarina, atuando no Curso de Graduação em Letras-Libras Presencial, coordenador  de estágios do Curso e pesquisador da área linguística de Libras com ênfase em análise de  discurso, produção e compreensão em Libras e níveis de (in)formalidade de Libras.

Foto Eric Ribeiro

Eric Ribeiro Christani

Bio: Graduado pela UFSCAR e pós-graduado em Práticas Docentes pela UMESP – Universidade Metodista de São Paulo. É professor nos cursos de bacharelados de Rádio Televisão e Internet, Jornalismo e Relações Públicas da UMESP e Produção Audiovisual.
Atua também na Escola de Atores Wolf Maya, no curso técnico de formação de atores e no Laureate Internacional Universities (modalidade EAD). Ministrou também diversos workshops em universidades e em escolas livres como B_arco, Inspiratorium, IED – Istituto Europeo di Design. É formado em técnico de som para estúdios e espetáculos audiovisuais pelo IAV – Instituto de Áudio e Vídeo.

Foto Diniz Candido

Diniz Candido

Bio: É graduado em Direito pela PUC (PR) com especialização em direito e processo do trabalho. Tem formação técnica em programação de computadores, atua no desenvolvimento de sites e presta consultoria nas área de acessibilidade para a web audiodescrição. Compõe a Secretaria de Tecnologia e Acessibilidade da Organização Nacional de Cegos do Brasil. É técnico de Emprego Apoiado (EA) pelo Instituto de Tecnologias Sociais (ITSBrasil). Atua no Tribunal Regional Federal de São Paulo. Atua há mais de 10 anos na militância pelos direitos das pessoas com deficiência, por meio de organizações da sociedade civil.

Foto de Maurício Sá

Maurício Sá

Bio: É formado em Tecnologia e Gestão da Tecnologia da Informação pela Faculdade Senac de Florianópolis. Foi professor de Informática com foco no uso de leitores de tela, Analista de Acessibilidade e é Senior Product Designer especialista em acessibilidade em produtos desenvolvidos para o judiciário, contemplando a experiência do usuário e os padrões internacionais WC3 e as diretrizes WCAG e WAI-ARIA

Foto de José Geraldo Couto

José Geraldo Couto

Bio: Nasceu em Jaú, interior de São Paulo, em 1957. É jornalista, historiador, tradutor e crítico de cinema. Trabalhou durante mais de vinte anos para a Folha de S.Paulo. Do inglês traduziu, entre outros autores, Henry James, Saul Bellow, Norman Mailer, Truman Capote, Michael Cunningham e Martin Scorsese. Do espanhol, Adolfo Bioy Casares e Enrique Vila-Matas. Publicou, entre outros, André Breton, Brasil: Anos 60 e Futebol brasileiro hoje, e participou com artigos e ensaios dos livros O cinema dos anos 80, Folha conta 100 anos de cinema e Os flmes que sonhamos.

Foto do Professor Rimar Ramalho Segala

Rimar Ramalho Segala

Bio: É doutorado em Lingüística pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP) e Mestre em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC – 2010). Possui graduação em Letras Libras (Licenciatura) pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012) em em Matemática pelo Centro Universitário Assunção (2004).
Atualmente é Professor Assistente II do Departamento de Psicologia no Curso de Bacharelado em Tradução e Interpretação em Libras e Língua Portuguesa da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Tem experiência na área de Letras, tradução, educação, arte e literatura com ênfase em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Foto do Professor Rafael Braz

Rafael Braz

Bio: Rafael Braz é psicólogo clínico de orientação psicanalítica e audiodescritor consultor. Na área da acessibilidade cultural, atua desde 2016, produzindo audiodescrição para filmes, séries, vídeos institucionais e comerciais, espetáculos de teatro, dança e shows musicais, dentre outras modalidades artísticas e culturais. Ministra cursos, palestras e oficinas sobre audiodescrição e acessibilidade cultural, comunicacional e atitudinal para empresas, instituições e universidades. Em sua trajetória como audiodescritor consultor, já acessibilizou mais de cem produções, compondo equipes com diferentes profissionais de todo o Brasil. Dentre os trabalhos realizados, destacam-se as audiodescrições produzidas para o Festival de Cinema de Gramado (2016, 2018 e 2019) e para os espetáculos de abertura das edições de 2018 e 2019 do Porto Alegre em Cena – Festival Internacional de Artes Cênicas.
Foto do Professor Filipe Sousa Granja

Filipe Sousa Granja

Área: Legendagem, Tradução e Audiodescrição.
Bio
: Graduando em Letras: Inglês pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), atua como
legendista, com ênfase na tradução de inglês para português e Legendagem para Surdos e
Ensurdecidos (LSE). É também professor de inglês no Núcleo de Línguas Estrangeiras da
UECE. Atualmente, é Locutor para Audiodescrição no projeto Um Novo Olhar da Universidade
Federal do Rio de Janeiro. Possui experiência como bolsista de Iniciação Científica no campo
da Linguística Sistêmico-Funcional, com foco na aplicação do sistema de avaliatividade em
roteiros de audiodescrição.

LANÇAMENTO COM 20% DE DESCONTO!

INVESTIMENTO

Imagem de Computador com Print de Tela da Área de membros do Curso

Curso de Acessibilidade Audiovisual

Imagem do Guia descrição textual de imagens

Guia: Descrição textual de imagens

R$ 530,00

170 AULAS JÁ DISPONÍVEIS!

NOVAS AULAS AO LONGO DE 2021

ACOMPANHE O CALENDÁRIO
ATÉ 2022:

  • Práticas ao vivo com os filmes Macunaíma e o Bandido da Luz Vermelha
  • Aulas sobre acessibilidade na Web
  • Aulas sobre pós-produção de legendas
  • Aulas sobre pós-produção de libras
  • Aulas sobre novos temas em 2022

Aulas já disponíveis na plataforma:

Mais de 170 aulas já disponíveis!

  • O histórico da tradução audiovisual – Eliana Franco
  • Modos de tradução audiovisual parte 01 – Eliana Franco
  • Modos de tradução audiovisual parte 02 – Eliana Franco
  • O futuro da tradução audiovisual – Eliana Franco
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva –  Renata Lisboa
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva – Guilherme Leopoldi
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva – Kauana Cristina Viera
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva – Graciete Soares Azevedo de Oliveira
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva – Gustavo Gusmão Ferreira
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva – João Gabriel Duarte Ferreira
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência visual – Jonathan Cardoso
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência visual – Leunir Marcos Alf
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência visual – Sabrina Mangrich
  • Trabalho de Equipe – Vinícius Nascimento
  • Organização e fluxo de trabalho: planejamento e produção em Libras – Vinícius Nascimento
  • O fluxo de trabalho na interpretação – Vinícius Nascimento
  • Montando um estúdio profissional de baixo custo – Hans Denis
  • Libras e comunicação humana – Vinícius Nascimento
  • Interpretação em transmissões ao vivo – Vinícius Nascimento
  • Gravação e edição de Libras com o uso de celulares – Lucas Heitor
  • Libras no audiovisual – José Ednilson
  • Conheça o público – Vinícius Nascimento
  • Estratégia para uma boa tradução – Tiago Coimbra
  • Libras ao vivo – Tiago Coimbra
  • Habilidades dos profissionais – Vinícius Nascimento
  • A representação da pessoa surda no audiovisual Brasileiro – Rodrigo Custódio
  • O profissional de Libras – Vinícius Nascimento
  • Produtos diferentes, discursos diferentes – Vinícius Nascimento
  • Normas técnicas – José Ednilson
  • Cuidados para uma boa tradução – José Ednilson
  • Diferenças entre língua e linguagem – Vinícius Nascimento
  • A evolução da Libras no audiovisual – Vinícius Nascimento
  • Uma nova área de aperfeiçoamento profissional – Vinícius Nascimento
  • Pesquisas recentes sobre a janela de Libras – Vinícius Nascimento
  • A janela de Libras e o produto audiovisual – Vinícius Nascimento
  • Internet e Libras – Vinícius Nascimento
  • O tradutor e intérprete na prática – Pré-produção – Angela Russo
  • O tradutor e intérprete na prática – Produção – Angela Russo
  • Cumprir a lei brasileira – Tiago Coimbra
  • O profissional de libras e as diferenças entre tradução e interpretação – Tiago Coimbra
  • Libras e acessibilidade comunicacional: uma questão de princípios – Tiago Coimbra
  • Qual o melhor momento para se iniciar a produção em Libras de um filme ou vídeo? – Tiago Coimbra
  • História das narrativas sobre a surdez – Jonatas Medeiros
  • Multimodalidade e diferentes produtos – Jonatas Medeiros
  • O tradutor e intérprete na prática – Pós-produção – Angela Russo
  • O trabalho dos tradutores e intérpretes – Tiago Coimbra
  • Libras e música – Jonatas Medeiros
  • A corporalidade do intérprete na arte – Jonatas Medeiros
  • Tradução para o público infantil – Jonatas Medeiros
  • Acessibilidade e inteligência artificial – Libras – Vinícius Nascimento
  • Libras e o público infantil – exemplos – Jonatas Medeiros
  • Letramento dos surdos através do audiovisual – Jonatas Medeiros
  • Atualizar as regras em janela de libras – Vinícius Nascimento
  • Traduções dissidentes, representações e militâncias – Jonatas Medeiros
  • Tradução audiovisual e legendas acessíveis – Patrícia Vieira
  • Velocidade da legendagem – Patrícia Vieira
  • Histórico e introdução à LSE – Patrícia Vieira
  • Segmentação Linguística – Patrícia Vieira
  • LSE em propagandas políticas – Patrícia Vieira
  • LSE no teatro – Patrícia Vieira
  • Formato e segmentação – Patrícia Vieira
  • O espectador surdo – Patrícia Vieira
  • Quinto estudo e novas conclusões – Patrícia Vieira
  • Práticas de legendagem – Patrícia Vieira
  • Revisão – Patrícia Vieira
  • A legendagem no dia a dia – Nathália Moura
  • Regras de legendagem – Nathália Moura
  • Diferentes usuários e o mercado de produtos com legendas p/ surdos e ensurdecidos – Patrícia Vieira
  • Erros comuns nas legendas para surdos e ensurdecidos – Patrícia Vieira
  • Pesquisas atuais sobre legendagem para surdos e ensurdecidos – Patrícia Vieira
  • O histórico da pessoa com deficiência – Felipe Mianes
  • Direitos e realidade – Felipe Mianes
  • Somente um mercado – Felipe Mianes
  • Simplificando os conceitos – Felipe Mianes
  • As equipes de audiodescrição – Felipe Mianes
  • Acessibilidade no audiovisual: audiodescrição – Bell Machado
  • Prática e evolução coletivas – Bell Machado
  • Linguagem cinematográfica e audiodescrição – Bell Machado
  • A visão e a linguagem cinematográfica: os primórdios do cinema – Bell Machado
  • Formação de público – Bell Machado
  • Normas Técnicas – Bell Machado
  • Linguagem cinematográfica na audiodescrição – Bell Machado
  • O fluxo de trabalho na audiodescrição – Bell Machado
  • O contato com o público – Bell Machado
  • Etapas para o roteiro em audiodescrição – Bell Machado
  • A relação com o público – Bell Machado
  • Audiovisual acessível – Felipe Mianes
  • O Fluxo de trabalho em audiodescrição – Felipe Mianes
  • O audiodescritor consultor – Felipe Mianes
  • Locução e narração em audiodescrição: como iniciar o trabalho – Márcia Caspary
  • Locução e narração em audiodescrição: narrar momentos diferentes – Márcia Caspary
  • Locução e narração em audiodescrição: exercícios de voz – Márcia Caspary
  • Figurinos – Bell Machado
  • O mercado – Márcia Caspary
  • Audiodescrição na publicidade e na propaganda política – Márcia Caspary
  • Contar uma história – Márcia Caspary
  • Narração ao vivo em festivais de cinema – Márcia Caspary
  • A evolução da audiodescrição no Brasil – Bell Machado
  • O consultor na produção do roteiro – Bell Machado
  • Audiodescrição simultânea e ao vivo – Bell Machado
  • Audiodescrição para jogos no Brasil – primeira reflexões – Felipe Mianes
  • Webséries e audiodescrição – Felipe Mianes
  • Personagens cegos no cinema brasileiro – João Carlos Rodrigues
  • Audiovisual acessível: uma questão de educação – Rachel Colacique
  • Audiovisual em Libras para o público infantil – Rachel Colacique
  • Libras no audiovisual da escola – Rachel Colacique
  • Jogos acessíveis e a indústria do audiovisual – Eliandro Saly
  • A relação entre os sentidos do corpo e narrativas dos jogos – Eliandro Saly
  • Tipos de jogos e formas de acessibilidade – Eliandro Saly
  • Histórico dos jogos acessíveis – Eliandro Saly
  • Acessibilidade e os sentidos do corpo: audição – Eliandro Saly
  • Acessibilidade e os sentidos do corpo: habilidades motoras – Eliandro Saly
  • Acessibilidade e os sentidos do corpo: visão
  • Acessibilidade na prática
  • O desenvolvimento de jogos acessíveis: etapas de produção – Eliandro Saly
  • O mercado de jogos acessíveis – Eliandro Saly
  • Audiodescrição: Técnicas, processos e ferramentas – Eric Ribeiro
  • Uma convergência de saberes ao longo da história – Eric Ribeiro
  • Definições de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Tipos de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Etapas de trabalho em audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Normas técnicas em audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Leitura comentada de normas brasileiras sobre audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Diferentes modelos de roteiros de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Pós-produção de audiodescrição – conceitos básicos – Eric Ribeiro
  • Microfones – Eric Ribeiro
  • Microfonação – Eric Ribeiro
  • Faixa dinâmica – Eric Ribeiro
  • Loudness – Eric Ribeiro
  • Demonstração prática de equalização – Eric Ribeiro
  • Compressão – Eric Ribeiro
  • Tipos de Ad – Eric Ribeiro
  • Tipos de roteiro de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Tipos de narração – Eric Ribeiro
  • Medidor de Loudness – Eric Ribeiro
  • Prática de pós-produção – Eric Ribeiro
  • Prática de pós-produção 2 – Eric Ribeiro
  • Prática de pós-produção 3
  • Prática de pós-produção 4 – Eric Ribeiro
  • Panorama da acessibilidade audiovisual no Brasil atual – Chico Faganello
  • Planejamento, atividades, métodos e ferramentas –  Chico Faganello
  • A importância de conhecer a obra antes de começar o trabalho – Chico Faganello
  • O Filme Macunaíma – Análise fílmica – José Geraldo
  • Debate sobre Macunaíma – José Geraldo e Chico Faganello
  •  Legendas para Surdos e Ensurdecidos – Aula Prática 1 – Patrícia Vieira e Felipe Sousa
  • Legendas para Surdos e Ensurdecidos – Aula prática 02: Uso de software gratuito – Patrícia Vieira e Felipe Sousa
  • Legendas para Surdos e Ensurdecidos – Aula prática 03: Dentro do software gratuito- Patrícia Vieira e Felipe Sousa
  • Macunaíma e Audiodescrição – Parte 01- Consultoria  – Eliana Franco e Rafael Braz
  • Macunaíma e Audiodescrição – Parte 02 – Roteiro – Eliana Franco e Rafael Braz
  • Macunaíma e Audiodescrição – Parte 03 – Exercício – Eliana Franco e Rafael Braz
  • Libras – Prática 1 – Vinícius Nascimento e Rimar Ramalho
  • Libras – Prática 2 – Vinícius Nascimento e Rimar Ramalho
  • Libras – Prática 3 – Vinícius Nascimento e Rimar Ramalho
  • Acessibilidade Web – Introdução – Diniz Candido 
  • Acessibilidade Web_Tecnologias assistivas – Diniz Candido 
  • Acessibilidade Web_Plataformas não acessíveis – Diniz Candido 
  • Acessibilidade de conteúdo na WEB – Diniz Candido 
  • Acessibilidade Web_Dicas para conteúdo – Diniz Candido 
  • Tecnologia assistiva – Leitores de tela – Maurício Sá
  • Acessibilidade nas empresas – Maurício Sá
  • Semântica – Maurício Sá
  • Cabeçalho- Maurício Sá
  • Listas – Maurício Sá
  • Tabelas – Maurício Sá
  • Descrição da imagem – Maurício Sá
  • Descrição de links – Maurício Sá
  • Botōes e etiquetas – Maurício Sá

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Dúvidas mais frequentes

Já começou em outubro de 2020 e você pode fazer no seu tempo até julho de 2022.

Você pode conferir o calendário de aulas clicando aqui.

Em aulas ao vivo sobre os filmes O Bandido da Luz Vermelha e Macunaíma e com exercícios, a partir do “calendário do aluno”.

Os módulos do curso estão divididos em videoaulas com os professores e conteúdos complementares como textos e vídeos, materiais de pesquisa e atividades práticas.

Sim, depois que pelo menos 70% das disciplinas forem cursadas pelo aluno.

Em exercícios orientados para cada aula, atividades avaliativas e durante aos aulas ao vivo.

Sim. O curso pode ser acessado em dispositivos como computadores, celulares e tablets.

Sim, você vai aprender como funciona a audiodescrição e os seus principais fundamentos. Mas depois você só será um/a  roteirista de audiodescrição se completar a sua formação com outros cursos que ofereçam amplo conhecimento da sociedade, da língua, da cultura, do mercado audiovisual  e da arte em geral, e só será um/a narrador/a se praticar e estudar técnicas relacionadas à interpretação vocal.

Sim, você vai aprender como funciona a legendagem e os seus principais fundamentos. Mas não será um legendista profissional se não tiver amplo conhecimento da Língua Portuguesa, e nem será um tradutor se não estudar outros idiomas.

No curso você entenderá como a Língua Brasileira de Sinais funciona nos conteúdos audiovisuais. Não vamos ensinar a Língua.

Você compreenderá os principais fundamentos da acessibilidade audiovisual e certamente vai aplicar os conhecimentos do curso à sua rotina, melhorando o trabalho que já desenvolve ou buscando novas oportunidades. Mas a formação nesta área é contínua e as atualização de conhecimento e tecnológica são constantes. E é  provável que você escolha se especializar em uma área para depois aprofundar aprofundar.  Com este curso, nosso plano é provar que todos os profissionais e empresas podem fazer conteúdos audiovisuais acessíveis, e isso certamente você vai aprender.

Não. O certificado valida sua participação no curso, mas para se tornar especialista nas áreas é necessário realizar cursos com aprofundamento em cada área.

Realização

logotipo Filmes que voam
Logo FSA
Logo Ancine
Bandeira do Brasil
logotipo BRDE - banco regional de desenvolvimento do extremo sul

Parceiros

logotipo BRAVI - Brasil Audiovisual Independente
logotipo ufsc - universidade federal de santa catarina
logotipo UFSCAR
Top

Mais de 150 aulas já disponíveis!

Acompanhe o calendário
até 2022:

  • Práticas ao vivo com os filmes Macunaíma e o Bandido da Luz Vermelha
  • Aulas sobre acessibilidade na Web
  • Aulas sobre pós-produção de legendas
  • Aulas sobre pós-produção de libras

Aulas sobre novos temas em 2022

  • O histórico da tradução audiovisual – Eliana Franco
  • Modos de tradução audiovisual parte 01 – Eliana Franco
  • Modos de tradução audiovisual parte 02 – Eliana Franco
  • O futuro da tradução audiovisual – Eliana Franco
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva  Renata Lisboa
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva Guilherme Leopoldi
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva Kauana Cristina Viera
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva Graciete Soares Azevedo de Oliveira
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva Gustavo Gusmão Ferreira
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência auditiva João Gabriel Duarte Ferreira
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência visual – Jonathan Cardoso
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência visual – Leunir Marcos Alf
  • Avaliação realizada pelo público com deficiência visual – Sabrina Mangrich
  • Trabalho de Equipe – Vinícius Nascimento
  • Organização e fluxo de trabalho: planejamento e produção em Libras – Vinícius Nascimento
  • O fluxo de trabalho na interpretação – Vinícius Nascimento
  • Montando um estúdio profissional de baixo custo – Hans Denis
  • Libras e comunicação humana – Vinícius Nascimento
  • Interpretação em transmissões ao vivo – Vinícius Nascimento
  • Gravação e edição de Libras com o uso de celulares – Lucas Heitor
  • Libras no audiovisual – José Ednilson
  • Conheça o público – Vinícius Nascimento
  • Estratégia para uma boa tradução – Tiago Coimbra
  • Libras ao vivo – Tiago Coimbra
  • Habilidades dos profissionais – Vinícius Nascimento
  • A representação da pessoa surda no audiovisual Brasileiro – Rodrigo Custódio
  • O profissional de Libras – Vinícius Nascimento
  • Produtos diferentes, discursos diferentes – Vinícius Nascimento
  • Normas técnicas – José Ednilson
  • Cuidados para uma boa tradução – José Ednilson
  • Diferenças entre língua e linguagem – Vinícius Nascimento
  • A evolução da Libras no audiovisual – Vinícius Nascimento
  • Uma nova área de aperfeiçoamento profissional – Vinícius Nascimento
  • Pesquisas recentes sobre a janela de Libras – Vinícius Nascimento
  • A janela de Libras e o produto audiovisual – Vinícius Nascimento
  • Internet e Libras – Vinícius Nascimento
  • O tradutor e intérprete na prática – Pré-produção – Angela Russo
  • O tradutor e intérprete na prática – Produção – Angela Russo
  • Cumprir a lei brasileira – Tiago Coimbra
  • O profissional de libras e as diferenças entre tradução e interpretação – Tiago Coimbra
  • Libras e acessibilidade comunicacional: uma questão de princípios – Tiago Coimbra
  • Qual o melhor momento para se iniciar a produção em Libras de um filme ou vídeo? – Tiago Coimbra
  • História das narrativas sobre a surdez – Jonatas Medeiros
  • Multimodalidade e diferentes produtos – Jonatas Medeiros
  • O tradutor e intérprete na prática – Pós-produção – Angela Russo
  • O trabalho dos tradutores e intérpretes – Tiago Coimbra
  • Libras e música – Jonatas Medeiros
  • A corporalidade do intérprete na arte – Jonatas Medeiros
  • Tradução para o público infantil – Jonatas Medeiros
  • Acessibilidade e inteligência artificial – Libras – Vinícius Nascimento
  • Libras e o público infantil – exemplos – Jonatas Medeiros
  • Letramento dos surdos através do audiovisual – Jonatas Medeiros
  • Atualizar as regras em janela de libras – Vinícius Nascimento
  • Traduções dissidentes, representações e militâncias – Jonatas Medeiros
  • Tradução audiovisual e legendas acessíveis – Patrícia Vieira
  • Velocidade da legendagem – Patrícia Vieira
  • Histórico e introdução à LSE – Patrícia Vieira
  • Segmentação Linguística – Patrícia Vieira
  • LSE em propagandas políticas – Patrícia Vieira
  • LSE no teatro – Patrícia Vieira
  • Formato e segmentação – Patrícia Vieira
  • O espectador surdo – Patrícia Vieira
  • Quinto estudo e novas conclusões – Patrícia Vieira
  • Práticas de legendagem – Patrícia Vieira
  • Revisão – Patrícia Vieira
  • A legendagem no dia a dia – Nathália Moura
  • Regras de legendagem – Nathália Moura
  • Diferentes usuários e o mercado de produtos com legendas p/ surdos e ensurdecidos – Patrícia Vieira
  • Erros comuns nas legendas para surdos e ensurdecidos – Patrícia Vieira
  • Pesquisas atuais sobre legendagem para surdos e ensurdecidos – Patrícia Vieira
  • O histórico da pessoa com deficiência – Felipe Mianes
  • Direitos e realidade – Felipe Mianes
  • Somente um mercado – Felipe Mianes
  • Simplificando os conceitos – Felipe Mianes
  • As equipes de audiodescrição – Felipe Mianes
  • Acessibilidade no audiovisual: audiodescrição – Bell Machado
  • Prática e evolução coletivas – Bell Machado
  • Linguagem cinematográfica e audiodescrição – Bell Machado
  • A visão e a linguagem cinematográfica: os primórdios do cinema – Bell Machado
  • Formação de público – Bell Machado
  • Normas Técnicas – Bell Machado
  • Linguagem cinematográfica na audiodescrição – Bell Machado
  • O fluxo de trabalho na audiodescrição – Bell Machado
  • O contato com o público – Bell Machado
  • Etapas para o roteiro em audiodescrição – Bell Machado
  • A relação com o público – Bell Machado
  • Audiovisual acessível – Felipe Mianes
  • O Fluxo de trabalho em audiodescrição – Felipe Mianes
  • O audiodescritor consultor – Felipe Mianes
  • Locução e narração em audiodescrição: como iniciar o trabalho – Márcia Caspary
  • Locução e narração em audiodescrição: narrar momentos diferentes – Márcia Caspary
  • Locução e narração em audiodescrição: exercícios de voz – Márcia Caspary
  • Figurinos – Bell Machado
  • O mercado – Márcia Caspary
  • Audiodescrição na publicidade e na propaganda política – Márcia Caspary
  • Contar uma história – Márcia Caspary
  • Narração ao vivo em festivais de cinema – Márcia Caspary
  • A evolução da audiodescrição no Brasil – Bell Machado
  • O consultor na produção do roteiro – Bell Machado
  • Audiodescrição simultânea e ao vivo – Bell Machado
  • Audiodescrição para jogos no Brasil – primeira reflexões – Felipe Mianes
  • Webséries e audiodescrição – Felipe Mianes
  • Personagens cegos no cinema brasileiro – João Carlos Rodrigues
  • Audiovisual acessível: uma questão de educação – Rachel Colacique
  • Audiovisual em Libras para o público infantil – Rachel Colacique
  • Libras no audiovisual da escola – Rachel Colacique
  • Jogos acessíveis e a indústria do audiovisual – Eliandro Saly
  • A relação entre os sentidos do corpo e narrativas dos jogos – Eliandro Saly
  • Tipos de jogos e formas de acessibilidade – Eliandro Saly
  • Histórico dos jogos acessíveis – Eliandro Saly
  • Acessibilidade e os sentidos do corpo: audição – Eliandro Saly
  • Acessibilidade e os sentidos do corpo: habilidades motoras – Eliandro Saly
  • Acessibilidade e os sentidos do corpo: visão
  • Acessibilidade na prática
  • O desenvolvimento de jogos acessíveis: etapas de produção – Eliandro Saly
  • O mercado de jogos acessíveis – Eliandro Saly
  • Audiodescrição: Técnicas, processos e ferramentas – Eric Ribeiro
  • Uma convergência de saberes ao longo da história – Eric Ribeiro
  • Definições de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Tipos de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Etapas de trabalho em audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Normas técnicas em audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Leitura comentada de normas brasileiras sobre audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Diferentes modelos de roteiros de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Pós-produção de audiodescrição – conceitos básicos – Eric Ribeiro
  • Microfones – Eric Ribeiro
  • Microfonação – Eric Ribeiro
  • Faixa dinâmica – Eric Ribeiro
  • Loudness – Eric Ribeiro
  • Demonstração prática de equalização – Eric Ribeiro
  • Compressão – Eric Ribeiro
  • Tipos de Ad – Eric Ribeiro
  • Tipos de roteiro de audiodescrição – Eric Ribeiro
  • Tipos de narração – Eric Ribeiro
  • Medidor de Loudness – Eric Ribeiro
  • Prática de pós-produção – Eric Ribeiro
  • Prática de pós-produção 2 – Eric Ribeiro
  • Prática de pós-produção 3
Abrir Chat
Precisa de Ajuda?
Olá! Está com dúvidas? Clique aqui e envie sua dúvida por texto, mensagem de áudio ou vídeo em libras
Skip to content