Pesquisa sobre a tradução de Libras na Filmes Que Voam

Pesquisa sobre a tradução de Libras na Filmes Que Voam

Sempre buscando melhorar a qualidade das versões em Libras que faz, a Filmes Que Voam procura inovar na área. Quando possível, usa mais de um tradutor para o mesmo filme, aproximando-os, na medida do possível, das personagens do texto-fonte e também muda o posicionamento dos tradutores na tela para acompanhar as ações. Essas propostas que, ocasionalmente, fogem dos manuais e orientações técnicas para o gênero e ainda não estão consolidadas entre os especialistas.

Como as inovações e traduções ainda são experimentais, a Filmes Que Voam com o objetivo de aperfeiçoar o seu trabalho realizou uma pesquisa com pessoas surdas e com deficiência auditiva para saber a melhor forma de utilizar a janela do tradutor de Libras. A pesquisa foi feita com participantes do V Congresso Nacional de Pesquisas em Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa – Congresso TILS 2016, realizado na Universidade Federal de Santa Catarina. Alguns resultados surpreenderam, atestando a aceitação do público às nossas inovações. Por exemplo, 82,6% dos entrevistados acreditam que os TILS – Tradutores e Intérpretes de Libras, devem buscar interpretações que tentem reproduzir as atitudes e o caráter das personagens e não neutras como, geralmente, acontecem em gêneros textuais científicos, técnicos e ou acadêmicos. Em outro tópico, apenas 8,7% dos entrevistados preferem que o tradutor fique fixo no lado inferior, mas dentro da cena sem a janela tradicional e 15,2% preferem que o tradutor fique com a janela retangular de Libras tradicional no lado esquerdo inferior.

Entretanto, contrariando algumas recomendações clássicas, 76,1% dos entrevistados preferem que o tradutor permaneça dentro da cena, sem o recorte da janela retangular de Libras tradicional, em posições que acompanhem o movimento das personagens na tela.
Outros resultados foram os seguintes:
• 63% dos entrevistados acreditam que o tradutor pode ter roupas com cores e estilos parecidos com os das personagens dos filmes e não em tom neutros, como geralmente é sugerido;
• 47,8% dos entrevistados preferem assistir filmes apenas com janelas em Libras, enquanto 26,1% preferem a janela em Libras e legendas ao mesmo tempo e 26,1% apenas legendas;
• A maioria (60,9%) também preferiu que os tradutores olhassem diretamente para a câmera e às vezes interaja com ela e não fique de perfil e 73,9% consideram que quando a fala de uma personagem é muito rápida, tradutor deve sinalizar mais rápido, priorizando o conteúdo do texto-fonte e não em velocidade normal, mais lenta que o texto-fonte.

A pesquisa foi realizada com a ajuda de nossa equipe de colaboradores, entre eles Tom Min Alves, Tiago Coimbra e André Reichert e servirá para reflexão sobre o trabalho da Filmes Que Voam, que busca adequar o tipo de tradução à cada filme, preservando as demandas dos clientes, assim como nos casos de produtos que necessitem das normas clássicas da ABNT e do público que é mais aberto e dinâmico quando assiste a filmes de ficção e documentário. Como as outras línguas, a Libras é dinâmica e criativa e requer constante estudo e atualização.



Veja também:



Publicidade
Top